sexta-feira, 2 de abril de 2010

Ao expoente da Loucura.




.Cansaço.Amor.Doce.Tristeza.Incapacidade.Droga.Saudade.Doença.Pressa.Amargo.Razão.Cansaço.




Hoje quero que me magoes. Quero que me faças doer no coração como se me fosses matar devagarinho.
Nesses entretantos, a dor é capaz de ser um refúgio mais eficaz que qualquer tipo de certeza.
Eu vou deixar a agonia penetrar devagarinho no meu sangue, correr as minhas veias, e envenenar-me.
Doer, ao expoente da loucura, onde a dor seja tão insuportável, que eu acabe por nem a sentir como dor.
(Começa a doer. Falta-me a minha droga.)







"Para nos lembrar que o amor é uma doença, 
quando nele julgamos ver a nossa cura."


2 comentários:

  1. o amor por vezes, magoa-nos imenso :x *

    ResponderEliminar
  2. mas tambem danos alegria..isso é que temos de nos lembrar!!

    ResponderEliminar